A importância do protótipo para a validação de sua ideia: tornando seu projeto viável e paupável

A

Todo início de projeto de software acontece com uma ideia. No entanto, um grande obstáculo para qualquer empreendimento é não conseguir tornar essa ideia tangível.

Outro impedimento pode ser saber se essa ideia será financeiramente viável. Por consequência, esse processo ainda em fase de concepção torna-se pouco atrativo para possíveis investidores.

Preparamos esse artigo para ajudá-lo a vencer esse desafio! Aqui abordaremos a importância de desenvolver um protótipo para que sua ideia possa ser validada e aprimorada durante os processos e execução. Confira!

A diferença entre MVP e protótipo

O conceito de MVP (Minimum Viable Product, ou Produto Mínimo Viável) representa o produto em desenvolvimento. Esse produto, por meio de um processo de aceleração de hipóteses e experimentações, tem o mínimo de funcionalidades que possam fazer com que ele seja considerado, de fato, um produto.

Assim, o MVP pode ser testado com seu público-alvo e retornar para ser otimizado e fazer com que o desenvolvimento do produto evolua.

Embora seja possível apresentar um MVP como se fosse um protótipo, é importante lembrar de que MVP e protótipo não são sinônimos. A diferença entre os conceitos ocorre, justamente, em relação à parte “viável” do MVP.

Não necessariamente um protótipo terá (ou precisará ter) a maturidade necessária em seu desenvolvimento para que apresente funcionalidades mínimas como o MVP.

Ao se desenvolver um protótipo existem os chamados “níveis de fidelidade” de um protótipo. Esses níveis são correspondentes à sua proximidade com a ideia, que pode ir desde “baixa” (ainda apenas uma representação conceitual da solução) até “alta” (uma representação mais similar, como um mock-up, por exemplo).

Assim, embora um protótipo em determinado estágio possa ser considerado um MVP, é importante diferenciá-los.

Isso porque o conceito de MVP exige um nível de fidelidade mais avançado em relação à ideia em si enquanto produto, algo nem sempre realizável somente por intermédio de um protótipo.

Conquistando investimentos com a ajuda de um protótipo

A necessidade de ter algo concreto para apresentar e atrair o interesse de investimento para que sua ideia seja aplicada para ser desenvolvida de forma plena pode ser resolvida com a criação de um protótipo.

Conhecendo seu público-alvo e pessoas interessadas no projeto em si, desenvolver o protótipo torna-se uma iniciativa estratégica e relevante.

Isso não apenas para gerar aprendizagem e para a etapa de testes (para que o produto final seja melhor), como também para diminuir a sensação de risco nos negócios e poder oferecer segurança e credibilidade para interessados em ver a ideia tomando forma.

É importante lembrar de que apenas o fato de a equipe ter um protótipo finalizado para apresentação não significa que a produção da solução final estará garantida.

Só o processo envolvido em criar um protótipo passa por uma série de questões testadas e resolvidas no caminho. E esse aperfeiçoamento não pode ser freado.

A oportunidade de tangibilizar e validar a ideia (ou múltiplas ideias) junto às partes interessadas permite que você e sua equipe possam ter um planejamento mais certeiro.

Isso também permite que se saiba responder a riscos provenientes do processo de desenvolvimento deste produto.

Apresentar um protótipo permite, ainda, que você possa ter uma pequena simulação do que será necessário para produzir sua solução.

Elementos como os recursos necessários, os desafios de ordem técnica, a proposta de valor, a percepção inicial e a resposta do público… tudo poderá ser previsto e aplicado no processo de aprendizagem do projeto por um custo mínimo.

O protótipo pode ser apresentado funcionando em um dispositivo móvel, por exemplo. Apenas simulando algumas funções e mostrando como é realizada a navegação entre telas, tangibilizando sua ideia de forma mais atrativa e visual para seu público e potenciais investidores.

protótipo

Viabilidade comercial de validar uma ideia com um protótipo

Verificar o potencial e o alcance antes de investir grandes somas em uma ideia ainda não validada é necessário tanto para obter maior lucratividade com o produto quanto para ter conhecimento sobre o caminho que a equipe está percorrendo.

Com um planejamento adequado, o protótipo de um software geralmente não custará mais do que R$ 5.000,00. Isso, claro, dependendo do nível de definição da ideia e de seus processos.

É preciso ver em que estágio a ideia se encontra, analisar os processos e fluxos entre as telas para daí então implementar essa força de trabalho em um protótipo.

Uma das melhores formas de validar uma ideia de um modo econômico e comercialmente viável é aliar o protótipo em conjunto com uma landing page.

Essa iniciativa permite que o cliente e os investidores possam experienciar o potencial de sua ideia antes de gastar dinheiro nela, criando uma conexão e uma atratividade entre o produto e seus stakeholders.

Considerações finais

Ao lançar uma solução inovadora para seu cliente, é preciso percorrer todos os estágios de questionamentos e dúvidas para que a própria ideia possa ser refinada, reconstruída e validada.

O protótipo é uma maneira de fazer com que testes sejam colocados à prova.

Assim, o produto final terá menos chances de apresentar defeitos e maior probabilidade de corresponder às necessidades de seus clientes e de ser atrativo para investidores.

Elaborar um protótipo não é o fim do processo (nem mesmo do desenvolvimento do protótipo).

Essa pode ser uma iniciativa impactante para fazer com que suas ideias sejam validadas e evoluam além do esperado em sua concepção, trazendo, por consequência, resultados melhores e tão palpáveis quanto o protótipo que vocês terão em mãos.

Sua empresa enfrenta obstáculos ao validar ideias e apresentar um bom protótipo? Deixe suas dúvidas e compartilhe suas experiências nos comentários. Tire já seu projeto do “mundo das ideias”, contate-nos e faça seu projeto uma realidade!

Seja o primeiro a comentar.

Deixe uma resposta

Categorias

A Faicon

Redes Sociais