Metodologia ágil: como processos inovadores auxiliam sua empresa a gerar mais resultados

M

Nesta era de transformação e avanço de tecnologia que estamos vivendo, inovação é uma palavra que não pode ser negligenciada. Agora praticamente nenhuma atividade que queira crescer ou se sustentar consegue ficar sem investir nela.

Algo que deve ser levado em consideração é que o comportamento dos consumidores mudou e a competitividade também se elevou. Assim, a forma como as empresas oferecem serviços ou se organizam para atingir oportunidades de negócio precisou evoluir.

Tal realidade não significa que metodologias tradicionais deixaram de existir. Mas, em determinadas situações, optar por caminhos alternativos pode ser a diferença que a empresa precisa para se destacar.

Nesse contexto, a questão de como conduzir e gerenciar projetos chama atenção. De maneira otimizada, é o que ajuda a empresa a não perder chances nem competitividade.

No que tange a desenvolvimento de soluções, justamente pela dinâmica desse cenário, com frequência novas tendências vêm surgindo para facilitar tudo.

Hoje iremos abordar especificamente um pouco da chamada metodologia ágil (ou melhor: métodos ágeis)!

Veja como eles auxiliam a criar processos inovadores para que as empresas obtenham mais resultados e produtividade:

metodologia ágil

Como a metodologia ágil, pautando-se em processos inovadores, auxilia a empresa?

Imagine que você tenha hoje a oportunidade de lançar uma solução diferenciada no mercado e se destacar de seus concorrentes.

Vamos supor que você tem um bom insight de negócio e ainda não saiba como aplicá-lo ou precisa que isso seja feito o quanto antes e com a melhor performance possível.

Se deixar de executar essa ideia ou demorar pode não conseguir extrair dela o retorno que espera.

Se, no entanto, puder contar com métodos eficientes e modernos, pode ser que encontre a forma ideal de driblar dificuldades sérias nesse sentido.

Com isso ela pode descobrir a possibilidade de atingir resultados diferentes e mais satisfatórios em relação aos convencionais.

Assim, metodologia ágil — uma linha de desenvolvimento que, em resposta de evolução aos modelos mais tradicionais, ganhou força após o chamado Manifesto Ágil em 2001 e que está segmentada em diversos subtipos — surge como algo que se propõe a agilizar tal processo.

Ao “desburocratizar” algumas etapas, permite que os usuários possam usufruir das soluções muito mais prontamente (antes que elas se tornem, até mesmo, desnecessárias a partir de algum momento — um risco que se corre ao demorar).

Da mesma forma, sugere implementação de melhorias contínuas, se for o caso, para preservar e elevar a qualidade do software.

Tudo isso sem que, necessariamente, uma etapa seja completamente concluída para que outra comece.

Desse modo, entregas intermediárias podem ser feitas e já tenham condições, assim, de ir atendendo a algumas necessidades dos clientes.

Isso não impede que o produto chegue com qualidade ao usuário mesmo antes de estar totalmente concluído.

Também não impede que receba incrementação para elevar a experiência — o que acaba dando mais abertura a processos criativos.

Dessa maneira, a empresa consegue atingir inovação e soluções que cumpram o time to market de forma mais satisfatória, diminuindo o atraso ou a distância (que também pode ser chamado de “delay”) entre o que a empresa quer e o que o time de desenvolvimento entrega a ela de fato.

É buscar, afinal, a boa união entre agilidade e qualidade.

Qual o impacto dessa ideia na realidade das empresas que nela apostam?

A metodologia ágil tem resultados tão bons em determinados cenários que já é “emprestada” a outras áreas de gerenciamento.

Processos inovadores, em outras palavras, passaram a ser bem vindos em diversas esferas.

Afinal, muitas têm o desafio de implementar mais rápido e de forma mais “desprendida” (sem deixar de perseguir a qualidade) algum conceito que tem o potencial de beneficiar o negócio, já verificando resultados ao longo dessa implementação.

Além disso, dependendo da maneira como ela é conduzida, pode haver maior prioridade aos processo de colaboração/interação.

Deixa-se de lado requisitos burocráticos e promove-se entregas  mais frequentes aos clientes.

Nesse caminho, sempre que uma nova ideia surge e uma mudança positiva pode ser feita, o desenvolvimento responde bem mais ligeiramente.

Faz isso adaptando processos também de acordo com o feedback contínuo do cliente e não só com a avaliação final dele, como pode acontecer com práticas mais tradicionais, que pretendem entregar o produto já fechado.

Dessa forma, a metodologia ágil abre espaço para a empresa crescer inclusive durante os processos de concepção e aperfeiçoamento da solução que está preparando para isso.

Maior entrega na prática em vez de documentação tão ampla, discussões abertas e recorrentes em torno dos projetos e reuniões até mesmo diárias para integração contínua também fazem parte de pensamentos da metodologia ágil.

Assim, soluções são também colocadas mais rápido no mercado — e isso pode ser exatamente o que faz você sair na frente de um concorrente.

Para entregar com mais velocidade, a metodologia ágil, contudo, não pretende “desrespeitar” o feedback.

Pelo contrário, permite incidência muito maior dele, já aplicando o que é necessário desse retorno ao longo das etapas posteriores do projeto.

Com isso, o produto final chega muito mais adaptado à expectativa do cliente depois e com suas funcionalidades potencializadas.

Não à toa, de acordo com uma pesquisa global feita em parceria com a Coleman Parkes, a capacidade de agir melhor diante de oportunidades foi notada por ao menos 40% dos consultados após a implementação de metodologias ágeis.

Por que a tecnologia aplicada ajuda as empresas a serem mais produtivas e a gerarem mais resultados?

De acordo com outro estudo conduzido pela mesma empresa, justamente a transformação digital (que intensifica tudo isso) chega a aumentar em até 50% o faturamento das organizações — o que enseja ainda mais a importância de investir em metodologias ágeis para atender e se adaptar ao cenário.

Chama atenção o fato de, segundo tais levantamentos, 88% das empresas terem adotado Agile em algum nível de seus negócios.

Atrelada a isso vem a melhoria inclusive na produtividade, notando-se capacidade de agir mais rápido com a utilização do modelo.

Portanto, fica mais do que claro que com uma cultura favorável a isso e com as ferramentas e parceria adequadas para implementar melhorias e soluções alinhadas às reais necessidades, com certeza sua empresa também terá maior chance de expandir resultados!

E então, você já encontrou uma empresa que domine conceitos modernos para ajudar você a tirar sua ideia do “mundo das ideias” e a transformá-la no produto inovador que precisa?

Que tal entrar em contato com a Faicon e descobrir melhor o que podemos fazer por você?

Seja o primeiro a comentar.

Deixe uma resposta

Categorias

A Faicon

Redes Sociais